Histórico do município

Aproximadamente no ano de 1935, com os primeiros imigrantes nascia o povoado de Rio Preso, o lugar já era conhecido por caçadores e até mesmo o interesse de colonizar pela abundância da caça. Agricultores da comunidade vizinha, Barra Dollmann subiam o rio com canoa até onde era possível pelo fato do rio estar entre barrancos e mata dos dois lados parecia estar preso, por este motivo o povoado recebeu o nome de Rio Preso. Esta denominação perdurou por uns 10 anos quando em 1945 o povoado de rio Preso registrou-se oficialmente Alto Rio Dollman. Anos após o povoado de Alto Rio Dollmann, mudou o nome da pequena cidade para Forcação, o motivo para essa denominação se deve a junção dos rios Fachinal e Palmitos, que se encontravam no centro desta cidade e formam uma forca.

Este nome permaneceu até no ano de 1967, quando o escrivão Alceste Moser entrou com um projeto na Câmara de Vereadores do município de Ibirama, ao qual o povoado de Forcação pertencia, para que a atual denominação fosse Vitor Meireles. O povoado recebeu este nome, por Victor Meirelles ser um personagem de grande destaque no cenário catarinense e até nacional. Através de suas pinturas e tendo como principal obra a pintura da primeira missa no Brasil e que encontra-se no acervo do museu nacional de belas artes. Um dos motivos que levou à alteração do nome foi também por haver enganos nas correspondências e na localização desta cidade, porque no atual município de Doutor Pedrinho havia e ainda existe uma localidade chamada Forcação.

Em 26 de abril de 1989 após todo o trabalho feito pelas lideranças locais, tendo o apoio da maioria dos deputados da Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina, emancipava-se o município de Vitor Meireles – SC, e implantou-se no dia 1º de janeiro de 1990.

Cultura

Os habitantes do município de Vitor Meireles são descendentes de origem italiana, alemã e polonesa.

Parte da Reserva Indígena Duque de Caxias do município de José Boiteux aproximadamente 34% da mesma está instalada no município de Vitor Meireles, onde habitam aproximadamente 70 famílias de origem das tribos Xocleng, Kaigang, Guaranis e Botocudos. Em números aproximadamente 500 habitantes.

Área de Relevante Interesse Ecológico – ARIE

O município é essencialmente agrícola e como potencial turístico o município tem várias cachoeiras que encantam os visitantes.

Vitor Meireles possui uma área de posse na localidade de Serra da Abelha denominada de Santa Cruz dos Pinhais, onde vivem 37 famílias. O Governo Federal, em 1996, transformou esses terrenos em Área de Relevante Interesse Ecológico – ARIE, em função da exuberante beleza e importância genética de seus mais de 8000 exemplares de pinheiros, com mais de 200 anos de idade. Nesta área com mais de 4100 hectares vivem papagaios, borboletas e centenas de outras espécies da fauna, além dos pinheiros existe uma diversidade de outras espécies de árvores nobres como canelas, sassafrás e cedros. A reserva também é riquíssima em água, em seu interior existem inúmeras nascentes que formam riachos cristalinos. Esta é a primeira reserva Federal do Alto Vale do Itajaí e representa também importante ponto a ser aproveitado para o turismo ecológico.