Por iniciativa do Governo Federal, Anitápolis foi fundada para acolher imigrantes europeus em 1906. Foi palco do fato histórico conhecido como “Combate da Garganta”, última batalha da Revolução de 1930 em território catarinense, que se deu na única estrada que ligava o sul do Brasil com a capital catarinense, a chamada Estrada da Garganta.

Com uma economia baseada na produção agrícola, Anitápolis é conhecida como “Paraíso de Rios e Cascatas” pela exuberância dos seus recursos hídricos e naturais. Além das belezas naturais, também oferece outros atrativos como o local do “Combate da Garganta”; a antiga usina hidrelétrica construída em 1910 para fornecer energia elétrica para o município; a arquitetura; a Serra Geral; os grupos de música e dança; a igreja matriz e várias festas, com destaque para: a Festa do Padroeiro São Sebastião em 20 de janeiro, a Festa Evangélica em meados de maio, a Festa Julina em meados de julho e a festa do Colono em novembro.

Em Anitápolis, foi instalado o Patronato Agrícola: prédio construído em 1918, para receber jovens rebeldes, lá funcionou como ‘Colônia Correcional’ onde tinham vários tipos de atividades; escola de música, carpintaria, marcenaria, etc. Hoje o prédio é ocupado pela Biblioteca Pública Municipal, escritório da Acolhida na Colônia e pelo Centro de Informações.